Wednesday, March 14th, 2012 | Author:

Implantado há 24 anos, o jardim desta residência caracterizado por aprestar pouca variedade de espécies, a maioria de grande porte, entrada da propriedade, cerca 60 exemplares de podocarpos postos em duas fileiras abre caminho aos visitantes.
A paisagem impressiona pela sutileza. Uma enorme área coberta ta com grama coreana apresenta algumas árvores isoladas, entre elas uma jabuticabeira de 45 anos de idade que começa a frutificar e uma Acer palmatum, cuja coloração verde-clara das folhas fica ainda mais brilhante nas estações da primavera e verão.
Segundo o engenheiro agrônomo e paisagista Hyroyoshi Ishi-bashi, autor do projeto, o principal objetivo era deixar bastante espaço livre, com os jardins pegando apenas os cantos da área. “Quis fazer algo bem natural”, justifica.
Num terreno de 3,6 mil metros quadrados, dos quais 1,6 mil foi determinado para a realização do gramado, o paisagista procurou aproveitar todo o visual do entorno, utilizando as áreas verdes do local como complemento ao jardim da propriedade. Com o cenário emprestado da rua, a impressão é que o espaço destinado às árvores de grande porte se prolonga, dando a sensação de estar diante de um enorme bosque.
Palmeiras seafórcias, ipê roxo e amarelo, quaresmeira, sibipiru-na, tuia áurea, brassaias, ficus, camélias, sasankua, pitangueira e planta fóssil são algumas das espécies que realçam a paisagem. Ishibashi afirma que muitas delas têm mais de 30 anos de idade.
As diversas tonalidades de verde convidam à contemplação. Nem os pássaros – freqüentadores assíduos do local – resistem ao seu encanto. Luminárias dispostas pelo jardim facilitam a sua visualização durante a noite.

Você pode acompanhar os comentários desse post através do RSS 2.0 feed. Você pode ou mandar um, or trackback do seu site pra cá.
Deixe um comentário » Log in