Friday, June 29th, 2012 | Author:


Ao contrário do que muitos pensam, as orquídeas não são parasitas. Sintetizando substâncias orgânicas com base em inorgânicas, elas conseguem produzir o seu próprio alimento. Desenvolvem-se no alto de árvores de madeiras nobres, pedras e solo. Totalizando cerca de 35 mil espécies, a família das orquídeas é, sem dúvida, uma das mais importantes do reino vegetal. Sua beleza e perfume sempre intrigaram os homens. Utilizada como medicamento e afrodisíaco, em séculos passados, elas protagonizaram grandes homenagens. Conta-se que a rainha do Sabá ofereceu um ramalhete de belas orquídeas ao rei Salomão, “um presente à altura de seu vizinho”. Elas teriam recebido elogios do sábio Confúcio, nascido em 551 a.C. Não resistindo ao perfume de uma dessas flores, ele teria registrado em seus escritos: “ran exala perfume de reis”. E com o nome de ran ou lan, que as orquídeas aparecem na literatura do extremo oriente.
Flor de rara e exótica beleza, quando começou a ser comercializada, seu preço era muito elevado. Mas hoje tornou-se bastante acessível, graças ao trabalho do homem, que faz a reprodução em laboratório, preservando as matas e repondo mudas, num fecundo trabalho de reconstituição para as futuras gerações.

Categoría: Orquídeas
Você pode acompanhar os comentários desse post através do RSS 2.0 feed. Você pode ou mandar um, or trackback do seu site pra cá.
Deixe um comentário » Log in