Sunday, September 09th, 2012 | Author:

O que quero ilustrar tomando como exemplo a maneira como têm se apresentado os debates sobre nutrição vegetariana é que há uma clara mudança de paradigma na maneira como o público e os especialistas percebem e aceitam o vegetarianismo, que agora passa a deixar a lista de práticas excêntricas para configurar na lista de meras opções, passando a ser visto como uma legítima expressão de diversidade. Apesar de não o isentar de questionamentos, essa legitimidade implica que seja aceito e respeitado. Nesse momento em que essa aceitação do vegetarianismo já se torna evidente na mídia e no meio acadêmico, não há mais que se falar em “aceitação” ou “inclusão social” do indivíduo vegetariano. O que pode haver é uma dificuldade de aceitação em um pequeno círculo social ou familiar, mas tendo como vantagem aquilo que é aceito e espelhado pela sociedade como um todo, tem sido cada vez mais fácil romper as barreiras que ainda possam existir nos pequenos círculos.
Ademais, a partir do momento em que a ética se torna um argumento constante na opção pelo vegetarianismo, não há que despender energia reivindicando aos vegetarianos qualquer privilégio ou necessidade de inclusão, pois torna-se ainda mais óbvia a posição de que o fim de nossas ações não está voltado para nós mesmos, mas sim para os animais, o que torna irrelevante qualquer angústia ou queixa resultante da dificuldade de colocar em prática o vegetarianismo. São eles, os animais, que estão sendo oprimidos, explorados e excluídos aos milhões a cada dia. Desviar o discurso para reivindicar aos vegetarianos qualquer direito ou necessidade é tirar o foco dos direitos animais (que são o fim) para colocá-lo nos direitos dos vegetarianos (que são meros meios). Diferentemente de outros movimentos sociais, não somos nós quem nos beneficiamos com os resultados das nossas ações, mas sim o outro. Nesse caso, um outro de outra espécie. Nada mais somos do que os seus porta-vozes e, pelo bem do movimento pelos direitos animais, jamais devemos pretender ser mais do que isso.

Categoría: Hortaliças
Você pode acompanhar os comentários desse post através do RSS 2.0 feed. Você pode ou mandar um, or trackback do seu site pra cá.
Deixe um comentário » Log in