Author Archive

Wednesday, August 07th, 2013 | Author:

Com cuidado, retire a touceira do vaso e tire o excesso de terra até que as mãos toquem as raízes da planta.
Utilizando a tesoura de poda, corte as raízes, separando as mudas. Nesta fase, não tente separar as raízes com as mãos para não quebrar a planta.
Retire as mudas cortadas, separando-as delicadamente uma a uma.
No replantio, preencha o fundo do vaso com argila expandida.
Corte a manta de bidin com um tamanho pouco maior que o do fundo do vaso e a posicione sobre a argila.
A seguir, complete 2/3 do vaso com o substrato.
Posicione a muda de lírio-da-paz sobre a terra e complete o vaso com substrato, cobrindo a raiz.
Pressione o substrato com as mãos para fixar bem a muda replantada.
Imediatamente após o replantio, regue o vaso com água limpa e fresca. Molhe bem para assentar o substrato.

Monday, August 05th, 2013 | Author:

Plantas que se reproduzem facilmente requerem um cuidado especial para permanecerem saudáveis: a divisão de touceira. Veja como fazer em casa.
Quem gosta de cultivar plantas dentro de casa costuma vibrar quando uma espécie se desenvolve bem, enchendo o vaso de novas mudas. Porém, é um erro pensar que ali vão crescer e se multiplicar sem nenhuma interferência só porque as condições do ambiente são favoráveis. Na verdade, algumas espécies – principalmente aquelas em que é comum o surgimento de mudas em grande quantidade – como as variedades de calatéia (Calathea sp.), tinhorão (Caladium sp.), zamioculcas (Zamioculcas zamiofolia), comigo-ninguém-pode (Dieffen-bachia sp.) e lírio-da-paz (Spathiphyllum sp.) exigem a divisão de touceira para que se desenvolvam e permaneçam saudáveis. Vasos muito cheios levam à concorrência de raízes, fazendo com que a planta fique fraca, o que pode resultar na morte da planta. “E muita disputa por nutrientes no mesmo espaço”, justifica a engenheira agrônoma do Tatuapé Garden, Angela Rossi.
Reconhecer o momento certo para fazer a divisão da touceira é simples e requer apenas um pouco de atenção. A medida que surgem novas mudas e a visualização do excesso de folhas dentro do vaso é nítida, é sinal de que precisam ser separadas. O processo deve ser feito com cuidado para não agredir as raízes nem estressar demais as pequenas mudas a serem replantadas. “No replantio, o ideal é utilizar o
substrato pronto, mais leve e não tão agregado como a terra”, ensina Angela. Segundo ela, o substrato contém todos os nutrientes que a planta precisa. Já a adubação só será necessária depois de dois meses do plantio. “A divisão danifica um pouco a raiz, e a muda fica muito delicada. O adubo químico usado precocemen-te pode queimá-la”, adverte. Para evitar qualquer procedimento prejudicial às espécies durante a divisão de touceiras, a engenheira agrônoma indica, a seguir, todos os passos para separar raízes e replantar mudas da forma correta. Entre todas as espécies que requerem divisão periódica de touceiras, as variedades de lírio-da-paz são as mais exigentes. Novas mudas aparecem com bastante intensidade nos vasos e merecem atenção especial para que se desenvolvam de forma saudável. Uma planta muito popular, de cultivo comum em ambientes internos bem iluminados ou mesmo em áreas externas sombreadas, o lírio-da-paz tornou-se uma das espécies preferidas nos jardins domésticos por ser duradouro, demandar poucos cuidados e apresentar folhas de textura e brilho especiais. Além disso, suas brácteas – conhecidas por flores — aparecem com freqüência em tons que vão do branco-puro ao esverdeado. Apesar de resistentes, as variedades da espécie devem ser mantidas sempre úmidas e as mudas, replantadas assim que houver excesso de folhas no vaso.

Thursday, August 01st, 2013 | Author:

Leveza e modernidade:
Situada em Barbacena, a 200 quilômetros de Belo Horizonte, esta casa passou por uma grande transformação. A aparência antiquada deu lugar a um visual moderno, com uma fachada sem muros que se integrou totalmente à rua.
As paisagistas Vera Simoni Guedes, Luciana Ximenes e Margareth Menezes Cortez foram contratadas para executar um jardim belo, moderno e que fosse de fácil manutenção. “Os proprietários também queriam que ele valorizasse ainda mais a arquitetura da casa.”
Após todo o planejamento e estudo da área, foram escolhidas as espécies: cicas (Cycas revoluta), moréias (Dietes bicolor), azaléias (podadas em forma de guarda-chuva) e jasmins-do-imperador (Osmanthus fragrans). “Próximo à bay-window, fizemos uma composição com murta e azaléia branca, formando assim uma cerca viva em dois níveis, proporcionando um resultado maravilhoso”, explicam.
A iluminação também foi projetada pelas paisagistas, para que valorizasse o jardim no período noturno. O grande destaque, contudo, ficou por conta da calçada. “Mesclamos a grama com o piso da passagem, feito de lajões de pedra Ouro Preto, bastante usado em Minas Gerais. Dispostas irregularmente, promoveram leveza à composição.”

Publicado em: Decoraçao jardins  | Tags:  | Deixe um comentário
Tuesday, July 30th, 2013 | Author:

A rainha das mudas:
Entre todas as espécies que requerem divisão periódica de touceiras, as variedades de lírio-da-paz são as mais exigentes. Novas mudas aparecem com bastante intensidade nos vasos e merecem atenção especial para que se desenvolvam de forma saudável. Uma planta muito popular, de cultivo comum em ambientes internos bem iluminados ou mesmo em áreas externas sombreadas, o lírio-da-paz tornou-se uma das espécies preferidas nos jardins domésticos por ser duradouro, demandar poucos cuidados e apresentar folhas de textura e brilho especiais. Além disso, suas brácteas – conhecidas por flores – aparecem com freqüência em tons que vão do branco-puro ao esverdeado. Apesar de resistentes, as variedades da espécie devem ser mantidas sempre úmidas e as mudas, replantadas assim que houver excesso de folhas no vaso.

Friday, July 26th, 2013 | Author:

Bico de papagaio:
Euphorbia pulcherrima
Arbusto semilenhoso de folhas membranáceas
Altura: 2 a 3 metros de altura com hastes numerosas.
Cultivo: planta tropical, não tolera geada e suas folhas costumam cair no inverno. Sendo uma euforbiácea, é pouco exigente em quesitos de solo e água.
Flores: amarelas, pequenas e de pouca importância ornamental. Porém, durante o inverno formam-se brácteas vermelhas, algumas vezes brancas, róseas ou amarelas que lembram folhas; estas adornam as pequenas flores amarelas com grande exuberância.
Multiplicação: por estacas, preparadas no final do inverno.
Origem: México.
Outros nomes populares: folha de sangue, poinsétia ou flor-de-páscoa.
Uso: empregada para formação de renques, conjuntos ou plantas isoladas. Pode ser podada para formar ramagem mais compacta.

Wednesday, July 24th, 2013 | Author:

Comestíveis e ornamentais:
“Gostaria de saber mais sobre as plantas ornamentais e comestíveis”
Este é um conceito muito interessante, pois existem no mercado colegas que conseguem construir belos jardins utilizando hortaliças, como repolho roxo, couveflor, manjericões, boldos e sálvias. Claro que são jardins de altíssima manutenção e extremamente dinâmicos. Porém, somando estes conceitos aos de agricultura orgânica, o feliz proprietário do “jardim comestível” pode aliar beleza e saúde em um único espaço. E o grande segredo é construir uma horta arquitetonicamente planejada.

Monday, July 22nd, 2013 | Author:

Mito do sereno:
“É verdade que molhar o jardim para retirar o sereno da manhã queima as plantas?”
Oi, Célia! Desconheço essa informação. As recomendações de irrigação nas lavouras, na maioria das culturas, indicam para que sejam feitas no período da manhã. Muitos fungos que causam doenças em plantas se aproveitam da umidade do final da tarde para penetrar nas folhas. A rega também depende de vários outros fatores, como umidade do solo substrato, fase de crescimento e tipo de espécies.

Publicado em: Dicas jardim  | Tags:  | Deixe um comentário
Thursday, July 18th, 2013 | Author:

Plantas Tropicais:
“Gostaria de saber mais sobre algumas plantas que se adaptam melhora região praiana”
Para regiões à beira-mar, devemos optar por espécies nativas da Mata Atlântica ou de regiões semelhantes, pois suportam o calor e a alta umidade do ar. Para cultiválas no jardim, tenha muito cuidado com o solo, pois estas plantas, na maioria, exigem terrenos ricos em matéria orgânica e bem drenado. Observe estes detalhes para obter sucesso em seus cultivos. Veja algumas sugestões: palmeira rafis (Rhapis excelsa), bromélia-imperial (Alcanfarea regina), beijo turco (Ipatiens walleriana), alamanda amarela (Allamanda cathartica) – esta é especial para o seu caso – ou as diferentes helicônias, tão lindas e resistentes.

Monday, July 15th, 2013 | Author:

Orquídeas e Bromélias:
“Que cuidados devo ter para cultivar as espécies mais comuns de orquídeas e bromélias?”
O ideal é adquirir algum conhecimento antes de iniciar o cultivo. Há livros modernos sobre técnicas específicas para orquídeas e também para plantas em geral. Em comum, as duas são plantas bem resistentes à seca, não suportam muita água. Então, jamais use pratos debaixo do vaso!

Friday, July 12th, 2013 | Author:

Dúvidas sobre eucalipto:
“Gostaria de saber como aproveitar melhor um eucalipto na decoração do meu jardim”
Eucalipto é a designação de várias espécies vegetais do gênero Eucalyptus. Esta constitui-se, aproximadamente, de 700 espécies, a maioria nativa da Austrália, Nova Zelândia, Nova Guiné, Indonésia e Filipinas. Nõ paisagismo são recomendadas as espécies dólar de prata (E. cinérea), eucalipto-vermelho (E. ficfolia) .Você pode utilizálas dentro da composição de um jardim como planta escultural (única) ou na formação de bosques