Arquivado em la Categoría » Chapada diamantina «

Wednesday, January 06th, 2010 | Author:

Parque da chapada diamantina

Chapada Diamantina. Companhias de ópera vinham da Europa para se apresentar.
Continuando, pode-se deixar o Vale Capão para o sul e, depois de uma escalada de 3 horas, montanha acima, alcançar os Gerais, um extenso planalto perto do mais alto dos picos. Um forte sentimento de liberdade invade quem chega ali.

Tuesday, January 05th, 2010 | Author:

Parque nacional chapada diamantina

Deixando Lençóis logo cedo pela manhã, e caminhando mais ou menos uns 30 km através de vales e pequenos rios, chega-se a Caeté-Açu, onde é possível acampar, antes de pegar a trilha para a Cachoeira de Cristal, a mais alta cachoeira com queda livre do Brasil. Ali, água, vento e sol, se juntam para formar um espetáculo quase divino. A água, caindo de 100 metros de altura, encontra o vento vindo do Vale Capivara e, ao reflexo do sol, projeta magníficos arco-íris.

Monday, January 04th, 2010 | Author:

Parque chapada diamantina

Mais uma hora de caminhada e pode-se alcançar a caverna Capão. Ou, vadeando o rio por mais 3 horas, chegar à pomposa Cachoeira do Sossego. Essa cachoeira, com 20 metros de altura, forma um lago profundo e escuro, e permite que se fique atrás da cortina de água, num lugar onde se pode sentir de forma muito especial a energia da vida.

Sunday, January 03rd, 2010 | Author:

Chapada do diamantina

Conhecer toda a Chapada Diamantina é difícil. A região inteira é duas vezes maior que a Suíça. Pessoas de lá, inclusive, afirmam que ainda há rios, cavernas e picos que nunca foram pisados pelo homem. Virgens. Difícil de acreditar? Pode ser, mas só se você nunca esteve na Chapada Diamantina. Em todo o caso, contratando um guia, e tendo disposição para andar, há caminhadas para todas as pernas e gostos. A 10 minutos do centro de Lençóis, por exemplo, está Serrano, uma pequena cachoeira que escorre sobre pedras coloridas.

Wednesday, December 30th, 2009 | Author:

Chapada diamantina lençois

Turistas estrangeiros descobrem a área.
De fato, lenta e discretamente, a Chapada Diamantina está atraindo viajantes do mundo inteiro. Mais gente de fora, aliás, que daqui mesmo do Brasil. Todavia, um tipo especial de turista. Aquele que busca o sabor da aventura e do exotismo, sem preocupações com conforto ou infra-estrutura turística. Se você quiser se candidatar, o ponto de partida deveria ser Lençóis. Esta velha cidade, antiga Capital das Lavras, hoje com 7.400 habitantes, é a menos desestruturada, até por estar ligada a Salvador e Brasília por estrada asfaltada, e dispor de acomodações com algum nível de conforto para o turista.

Tuesday, December 29th, 2009 | Author:

A chapada diamantina

Chapada Diamantina. Fortunas eram construídas da noite para o dia.
Na foto maior a imensidão dos Gerais. Acima, à esquerda, a Cachoeira do Sossego, onde é possível se ficar atras da cortina de água. Abaixo, detalhe da subida para os Gerais

Monday, December 28th, 2009 | Author:

Chapada diamantina fotos

Sem o ouro e os diamantes, e depauperada pela “guerra”, a Chapada Diamantina mergulhou em profunda decadência, num processo de rápido abandono e esquecimento. Somente na década de 70 voltou a ser notícia, quando o governador da Bahia anunciou que as riquezas da Chapada não haviam de fato acabado; O estavam, apenas, fora do alcance do processo rudimentar de mineração. A notícia acabou trazendo outros modernos tipos de garimpeiros, a constituição de um Parque Nacional e, paralelamente, um pouco de turismo.

Sunday, December 27th, 2009 | Author:

Chapada da diamantina

Corria tanto dinheiro na Chapada, eram tantos os interesses em jogo, que o governo francês mandou instalar até um vice-con-sulado em Lençóis, a cidade que funcionava como capital econômica da região. Aliás, conta-se que as companhias de ópera européias que vinham excursionar no Brasil, geralmente incluíam Salvador no roteiro para, de lá, em lombo de burro, cavalgar mais 400 km e exibir sua arte na Chapada Diamantina.
Todavia, se no final do século passado os garimpos começaram a escassear, a decretação da decadência definitiva veio com a notícia da descoberta de diamantes no extremo Sul da África. Como se não bastasse, outro pesadelo começou logo depois — e durou quase dez anos. Foram as sucessivas e malogradas rebeliões políticas lideradas por um certo Horácio de Matos, coronelzão da região que, à frente de 10.000 “cabras”, combateu o governo baiano de 1916 até 1925.

Saturday, December 26th, 2009 | Author:

Diamantina chapada

As mesmas terras onde mais tarde, em 1844, quase que por acaso, um tropeiro de nome José Pereira do Prado encontrou um diamante de quatro quilates. Com o ouro, e depois os diamantes, vieram os aventureiros, os garimpeiros, os coronéis. Foram dezenas e dezenas de anos de esplendor e fausto, mas também da lei do mais forte, quando matava-se por tudo e por nada, enquanto fortunas eram construídas ou dilapidadas da noite pro dia.
Ao lado a Cachoeira de Cristal. Com 100 metros de altura é a maior queda livre do Brasil. Acima o Vale do Capão.

Friday, December 25th, 2009 | Author:

Chapada Diamantina

Lendas e História se confundem na Chapada Diamantina. Fala-se de apaixonados que pularam de penhascos e evaporaram no ar. De diamantes de fina lavra encontrados até dentro de moelas de galinhas. De discos-voadores e bases de resgate alienígenas. De milionários que acendiam charutos com notas de libra esterlina. Mas a História, mesmo, essa começa no início do século XVII, com a descoberta de ouro farto nas terras que a Coroa Portuguesa havia doado ao explorador Belchior Dias Moreira.