Arquivado em la Categoría » Cuidados com as plantas «

Wednesday, August 07th, 2013 | Author:

Com cuidado, retire a touceira do vaso e tire o excesso de terra até que as mãos toquem as raízes da planta.
Utilizando a tesoura de poda, corte as raízes, separando as mudas. Nesta fase, não tente separar as raízes com as mãos para não quebrar a planta.
Retire as mudas cortadas, separando-as delicadamente uma a uma.
No replantio, preencha o fundo do vaso com argila expandida.
Corte a manta de bidin com um tamanho pouco maior que o do fundo do vaso e a posicione sobre a argila.
A seguir, complete 2/3 do vaso com o substrato.
Posicione a muda de lírio-da-paz sobre a terra e complete o vaso com substrato, cobrindo a raiz.
Pressione o substrato com as mãos para fixar bem a muda replantada.
Imediatamente após o replantio, regue o vaso com água limpa e fresca. Molhe bem para assentar o substrato.

Monday, August 05th, 2013 | Author:

Plantas que se reproduzem facilmente requerem um cuidado especial para permanecerem saudáveis: a divisão de touceira. Veja como fazer em casa.
Quem gosta de cultivar plantas dentro de casa costuma vibrar quando uma espécie se desenvolve bem, enchendo o vaso de novas mudas. Porém, é um erro pensar que ali vão crescer e se multiplicar sem nenhuma interferência só porque as condições do ambiente são favoráveis. Na verdade, algumas espécies – principalmente aquelas em que é comum o surgimento de mudas em grande quantidade – como as variedades de calatéia (Calathea sp.), tinhorão (Caladium sp.), zamioculcas (Zamioculcas zamiofolia), comigo-ninguém-pode (Dieffen-bachia sp.) e lírio-da-paz (Spathiphyllum sp.) exigem a divisão de touceira para que se desenvolvam e permaneçam saudáveis. Vasos muito cheios levam à concorrência de raízes, fazendo com que a planta fique fraca, o que pode resultar na morte da planta. “E muita disputa por nutrientes no mesmo espaço”, justifica a engenheira agrônoma do Tatuapé Garden, Angela Rossi.
Reconhecer o momento certo para fazer a divisão da touceira é simples e requer apenas um pouco de atenção. A medida que surgem novas mudas e a visualização do excesso de folhas dentro do vaso é nítida, é sinal de que precisam ser separadas. O processo deve ser feito com cuidado para não agredir as raízes nem estressar demais as pequenas mudas a serem replantadas. “No replantio, o ideal é utilizar o
substrato pronto, mais leve e não tão agregado como a terra”, ensina Angela. Segundo ela, o substrato contém todos os nutrientes que a planta precisa. Já a adubação só será necessária depois de dois meses do plantio. “A divisão danifica um pouco a raiz, e a muda fica muito delicada. O adubo químico usado precocemen-te pode queimá-la”, adverte. Para evitar qualquer procedimento prejudicial às espécies durante a divisão de touceiras, a engenheira agrônoma indica, a seguir, todos os passos para separar raízes e replantar mudas da forma correta. Entre todas as espécies que requerem divisão periódica de touceiras, as variedades de lírio-da-paz são as mais exigentes. Novas mudas aparecem com bastante intensidade nos vasos e merecem atenção especial para que se desenvolvam de forma saudável. Uma planta muito popular, de cultivo comum em ambientes internos bem iluminados ou mesmo em áreas externas sombreadas, o lírio-da-paz tornou-se uma das espécies preferidas nos jardins domésticos por ser duradouro, demandar poucos cuidados e apresentar folhas de textura e brilho especiais. Além disso, suas brácteas – conhecidas por flores — aparecem com freqüência em tons que vão do branco-puro ao esverdeado. Apesar de resistentes, as variedades da espécie devem ser mantidas sempre úmidas e as mudas, replantadas assim que houver excesso de folhas no vaso.

Wednesday, July 24th, 2013 | Author:

Comestíveis e ornamentais:
“Gostaria de saber mais sobre as plantas ornamentais e comestíveis”
Este é um conceito muito interessante, pois existem no mercado colegas que conseguem construir belos jardins utilizando hortaliças, como repolho roxo, couveflor, manjericões, boldos e sálvias. Claro que são jardins de altíssima manutenção e extremamente dinâmicos. Porém, somando estes conceitos aos de agricultura orgânica, o feliz proprietário do “jardim comestível” pode aliar beleza e saúde em um único espaço. E o grande segredo é construir uma horta arquitetonicamente planejada.

Sunday, April 28th, 2013 | Author:

Um jardim lindo, repleto de flores, projetado com as espécies que você mais gosta e, para completar, com um belo ar-condicionado. Alto lá: ar condicionado?! E, não tem jeito: se o seu sistema de refrigeração não for daquele com suporte, o lugar mais comum para colocálo costuma ser o jardim. E, convenhamos, condicionador de ar não combina muito com um projeto paisagístico.
Uma solução pacífica para esse problema pode ser disfarçar o sistema de refrigeração entre as espécies vegetais. Ou seja, colocá-lo de maneira estratégica no jardim, usando as próprias plantas para escamoteá-lo. Veja a seguir quatro projetos que usaram tal técnica. Uma delas pode ajudá-lo a resolver o seu problema.

Entenda seu ar-condicionado:
Os modelos mais comuns de condicionadores de ar são os de janela e os split. O primeiro é o mais usado. Trata-se de um aparelho encaixado em um suporte que, na maioria das vezes, fica do lado de fora da residência ou do apartamento. Os modelos split são utilizados em locais maiores. Eles necessitam de uma central, devem ser postos no chão e liberam muito calor. Por isso, são colocados no lado externo.

Friday, June 15th, 2012 | Author:

Segundo a paisagista Angela Balista, não importa o tamanho da área, mas sim as alternativas que poderão ser utilizadas pelo arquiteto ou paisagista. Uma das soluções encontradas para implantar jardins em banheiros é criar tetos de vidro e grandes janelas para que as plantas recebam iluminação natural.
Outro item importante é que o ambiente conte com uma boa ventilação para que as espécies escolhidas possam ter o desenvolvimento ideal. A utilização de plantas acostumadas a locais muito frios ou demasiadamente quentes deve ser evitada.

Thursday, May 31st, 2012 | Author:

Os vasos (Linha Lewe), usados em grande quantidade, são de um material mais leve que o normal, com formas e cores modernas e variadas, combinando com os móveis e a decoração.
Alguns, como o das palmeiras, podem ser usados como cachepôs, pois têm tampas removíveis, tornando mais fácil a troca da vegetação. Na maioria deles, também foi instalado um rodízio, facilitando a manutenção da casa.

Sunday, May 13th, 2012 | Author:

A obra contempla a maioria das espécies de árvores introduzidas no país, cultivadas atualmente com fins ornamentais, madeireiros e aromáticos. É o resultado de mais de cinco anos de trabalho de seus autores, considerados os principais estudiosos da botânica hortícola no Brasil. Totalmente impresso em papel couchê liso, é apresentada uma planta por página. Tem mais de mil fotografias coloridas e 352 espécies de árvores.

Wednesday, April 25th, 2012 | Author:

A tuia (Thuja sp) não é uma planta característica de regiões quentes. Mas, com alguns cuidados, é possível mantê-la saudável. Esta espécie gosta de sol pleno, porém na sua região são indicadas algumas horas de sombra. O solo deve ter pelo menos 50% de matéria orgânica. Faça podas leves na primavera, para adensá-la. Para tratar a ferrugem, use um produto à base de cobre, adquirido em agropecuária.

Publicado em: Cuidados com as plantas  | Tags: ,  | Deixe um comentário
Sunday, April 22nd, 2012 | Author:

A ocna (Ochna serrulata) é um arbusto originário da África do Sul, que deve ser plantado com terra rica em matéria orgânica e mantido a pleno sol, podendo alcançar 2m de altura. Pode também ser plantado em vaso, tendo seu crescimento controlado. Suas flores amarelas se formam junto dos ramos, depois caem e deixam o cálice vermelho e os frutos pretos, que atraem pássaros.
Um bom fornecedor de plantas ornamentais pode encomendar para você, de algum produtor próximo, do CEASA/SP ou de Holambra.

Publicado em: Cuidados com as plantas  | Tags: ,  | Deixe um comentário
Wednesday, April 11th, 2012 | Author:

A idéia de cultivar frutíferas em vasos é muito boa, mas você deve tomar alguns cuidados especiais. Os vasos devem ser grandes, para que as raízes se desenvolvam. Para a drenagem, coloque no fundo do vaso brita ou argila expandida e um pedaço de bidim, assim a terra não se misturará à brita e a água da rega sairá filtrada no prato.
Uma boa mistura pode ser feita com 1 parte de areia, 1 de terra vegetal e 1 de húmus de minhoca. Plante sem desfazer o torrão, para não prejudicar o sistema radicular. Após o plantio, mantenha-na protegida do soPforte e dos ventos por algumas semanas. Passada esta adaptação, garanta no mínimo quatro horas de luz solar direta.
As frutíferas preferem adubação orgânica, que pode ser feita três vezes ao ano. Sugirimos que você plante acerola (Malpighia glabrct), pitanga (Eugenia uniflora), romã (Punka gw/itítwm), jaboticaba (Myráaria cauliflora) e as cítricas (como limoeiro, laranjeira etc) que, além de saborosas, são muito ornamentais.