Arquivado em la Categoría » Decoraçao jardins «

Saturday, December 08th, 2012 | Author:

Um pedacinho de chácara no corredor.
A casa ainda estava em reforma quando a paisagista Marilda Scodeller Godinho recebeu a tarefa de transformar um estreito corredor de uma residência em um pedacinho de chácara típica do interior, de onde a proprietária estava se mudando. “A exigência era que tivesse muito verde, com espécies frutíferas e uma fonte dágua”, lembra a paisagista, que se inspirou nos moldes ingleses mais naturalistas de cottage para desenvolver o projeto. Assim, no corredor estreito, de 15 m por 1,20 m, surgiu um jardim cuja particularidade é ser simples, bonito e de fácil manutenção. “Para dar um pouco de movimento ao pequeno espaço, optei por canteiros abaulados””, diz Marilda, que utilizou espécies variadas, como tuias (Thuja sp.), podocarpos (Po-docarpus gracilior), moréias (Dietes sp.) e marias-sem-vergonha (Impatiens walleriana).

Thursday, December 06th, 2012 | Author:

“Procurei valorizar as aberturas visuais das janelas e portas das três suítes que dão para o apertado corredor, agora mais agradável com o novo orquidário”, explica Daniela. Assim, cada janela recebeu um painel com uma quantidade mais significativa de orquídeas e uma iluminação especial, para criar um clima mais aconchegante. “Busquei fazer uma brincadeira de movimento, o qual se intensificava nas aberturas visuais das janelas e diminua no restante do corredor do orquidário-pergolado”, explica.
A estrutura de madeiras recebeu placas fixas e móveis de fibra de coco, enquanto os vasos suspensos foram fixados com cabo de aço – uma solução simples, barata, bonita e versátil, que possibilita novas aquisições de plantas sem comprometer o paisagismo e a identidade do ambiente. Um sistema de irrigação foi projetado para atender às necessidades de cada orquídea por meio de nebulização (chuva em forma de neblina, de cima para baixo), gotejamento pontual em cada vaso de fibra de coco e gotejamento coletivo nas orquídeas terrestres. Para proteger as plantas da chuva e excesso de luminosidade foi utilizada uma cobertura com tela solar sobre o pergolado.

Friday, November 30th, 2012 | Author:

Tudo pelas Orquídeas
Um corredor estreito entre a parede lateral esquerda da casa e o muro foi transformado no lugar mais charmoso de uma residência localizada no Alto da Lapa, Zona Oeste da capital paulista. No espaço, de um metro de largura por 20 metros de comprimento, a construção do pergolado sob medida serviu para abrigar uma das grandes paixões da proprietária — uma coleção de orquídeas. O desafio do projeto, desenvolvido pela Lao Engenharia Sustentável, era aproveitar o espaço ao máximo e ainda deixá-lo protegido dos dois cachorros da família. “Eles adoram brincar entre as plantas”, explica o engenheiro civil e designer Lao Napolitano, responsável pela obra. O frechal (vigas horizontais) foi aproveitado como parte da cobertura; na outra metade foram empregadas ripas para permitir a entrada do Sol e pendurar as mudas. “A porta de correr foi a solução encontrada para proteger as espécies dos cachorros, ocupando pouquíssimo espaço”, ressalta o engenheiro.
Segundo Daniela Rarnalho, paisagista que assina o projeto, o objetivo foi diversificar as espécies, utilizando orquídeas terrestres como as variedades sobrália, violeta e bambu; das trepadeiras, entre elas a orquídea-vanilla; e das suspensas, a orquídea-wanda e as orquídeas falenópsis, catléias, dendobrium e oncidiuns.

Tuesday, November 27th, 2012 | Author:

Para o projeto de iluminação foram utilizadas luminárias do tipo espeto com lâmpada PAR 38, específicas para jardins, permitindo que a luz fosse direcionada conforme o crescimento das espécies e dos diferentes volumes que se formam no jardim. A cada três metros foi instalado um espeto, totalizando oito unidades na área externa. Na parte coberta da área foi mantida apenas a iluminação no teto. Hoje, quem passa pelo corredor do condomínio não consegue ficar indiferente ao charme dos jardins. Uma jardineira suspensa, na qual são cultivadas as russélias, espécie de folhagem rústica, pendente e com flores tubulares de cor vermelha, são visitadas assiduamente por beija-flores. A jardineira elevada permite o desenvolvimento de sua ramagem pendente, formando um belo volume verde e vermelho. Na parte cober-
ta, que recebe luz direta do Sol em alguns horários do dia, foram utilizadas agaves e bromélias junto a pedras grandes e rústicas, criando um cenário árido e estático que contrasta com o movimento das copas dos bambus no plano posterior.

Thursday, October 25th, 2012 | Author:

Diferentes kaizucas (Junipeurs chinensis), nandinas (Nandina domestical), pingos-de-ouro (Duranta repens) e palmeiras-fenix (Phoenix roebelinii). Abaixo, clorofitos (Chlorophytum comosum), grama-esmeralda (Zoysia japonica), pingos-de-ouro (Duranta repens), kaizucas (Junipeurs chinensis), formios (Phormium tenax), buxinhos (Buxus sempervirens) e damas-da-noite (Cestrum nocturnum)

Tuesday, October 23rd, 2012 | Author:

Clássico e contemporâneo. Assim pode ser classificado o estilo do jardim desta residência localizada no elegante bairro do Pacaembu, em São Paulo. Desenvolvido pela engenheira agrónoma e paisagista Adriane Muratt e pela paisagista Andréia Hollanda, o projeto foi concebido para oferecer aconchegantes espaços de lazer aos proprietários. “O paisagismo, acima de tudo, deveria valorizar a área, pois, além da piscina e da hidromassagem, um pouco mais ao fundo existe pista de dança, sauna, sala de ginástica, home theater e forno de pizza”, explica Adriane, acrescentando que o andar superior abriga uma pequena praça que valoriza ainda mais o ambiente. De acordo com a engenheira agrónoma, além de deixar a área mais acolhedora, os proprietários queriam que os muros fossem valorizados, devido a sua altura. Antes da implementação do projeto, Adriane revela que foi feita uma reforma total na casa, até mesmo na parte externa, trabalho executado pelo arquiteto Lionel Sasson, de São Paulo. “Não aproveitamos nenhuma planta. Começamos tudo do zero.”
Após esse período, a beleza do local chama a atenção. Não apenas pelas espécies utilizadas ou pela disposição dos objetos decorativos, mas, sim, pela harmonização do conjunto que valoriza cada detalhe, cada espaço da residência.
Peculiaridades, aliás, fazem a diferença. Para conseguir este êxito da maneira mais simples possível, as duas profissionais optaram pelas pal-meiras-fênix (Phoenix roebelínii), palmeiras-triângulo (Dypsis decaryi), kaizucas (Junipeurs chinensis), nandinas (Nandina domestica), fórmios (Phonniurn tenax), primaveras (Bougainvillea sp), damas-da-noite (Cestrum nocturnum), camélias (Camellia japonica), murtas (Myrtus communis), cicas (Cycas revolutd), mini-ixoras {Ixora coccí-nea), clorofitos (Chlorophytum comosum), pin-gos-de-ouro (Duranta repens), buxinhos (Buxus sempervirens), moreias (Dietes bicolor), mini-grama-preta (Ophiopogon japonicus ‘variegata’), grama-esmeralda (Zoysia japonica), entre outras plantas, que se “encaixaram” perfeitamente na composição do projeto.

Saturday, September 29th, 2012 | Author:

Pássaro esculpido em madeira – do artista Carcará, de Porto de Galinhas.

Thursday, September 27th, 2012 | Author:

Escultura em madeira retorcida com prato de cerâmica; contém bromélias (Bromelia sp) -de Antônio Cassiano.

Wednesday, September 19th, 2012 | Author:

Através do paisagismo, Martha Pitanga e Toni Brasil buscaram nortear os sentidos para a conscientização da importância do verde no equilíbrio do nosso meio. “E importante que os produtos e subprodutos extraídos do ambiente para favorecer o conforto dos dias de hoje sejam bem planejados, para que a beleza e o bem-estar estejam harmonicamente integrados à dinâmica dos ecossistemas e da tecnologia de produção”, refletem.
Partindo dessas premissas, os profissionais resolveram homenagear a Amazônia, por todo o significado territorial e mundial que representa, resgatando um pouco dos valores culturais brasileiros.

Sunday, August 12th, 2012 | Author:

Ali foram colocados churrasqueira, bar e salão de jogos. Para integrar esses espaços à área da piscina, a arquiteta responsável pelo paisagismo, Marisa Lima, encontrou uma boa solução. Revitalizou o terreno inclinado, que serve de passagem entre as duas áreas, e fez ali um jardim.