Arquivado em la Categoría » Manejo irrigação «

Monday, November 30th, 2009 | Author:

Água irrigação

Água irrigação
E por esta razão que, quando se cortam ramos de uma planta, freqüentemente eles logo murcham, já que a colu-nazinha de água foi interrompida e a “bomba de sucção” das folhas passa a “girar em falso”. Mas, tão logo o ramo seja colocado na água, a continuidade do fluxo é restabelecida e, em pouco tempo, as folhas e flores voltam ao normal.
Pra terminar, em síntese, as forças que permitem a ascensão da água à grandes alturas nas plantas, são fundamentalmente duas. A primeira é a força de coesão das moléculas da água (os elos da corrente). A segunda é a pressão osmótica. Esta última, aliás, pode alcançar valores incrivelmente elevados. Em algumas sementes foram medidas pressões superiores a 1.000 atmosferas.

Sunday, November 29th, 2009 | Author:

Irrigação localizada

Um sistema com duas bombas.
Em resumo, podemos imaginar a planta como um sistema munido de duas bombas. A primeira, premente nas raízes, absorve a água e a faz circular pela “rede hidráulica” os vasos do lenho. A segunda, de sucção, estariam nas células das folhas, que abrem suas torneirinhas e derramam água na atmosfera. Todavia, isso só é possível, porque a estrutura química da água é composta de moléculas que estão ligadas entre si como os elos de uma corrente. É essa conformação, aliás, que dá aos líquidos sua compacidade (a capacidade de “viverem grudados” uns nos outros, e não se interromperem sem que uma força maior os separe).

Saturday, November 28th, 2009 | Author:

Sistema de irrigaçao

De modo não muito diferente, uma célula da raiz, que fica em contato com a água que circula no solo, estará apta a absorver a água se, a sua pressão osmótica for maior que aquela das soluções circulantes no terreno. Entrando água, a sua pressão osmótica diminui, e logo as células que a cercam passam a ter uma pressão osmótica maior, fazendo com que suguem água da primeira.

Friday, November 27th, 2009 | Author:

Sistemas irrigação

Uma árvore de 50 m de altura exige uma bomba de 2 cavalos.
Esta perda de água gera um aumento da concentração das substâncias nela dissolvidas, com o conseqüente aumento da pressão osmótica e, em contrapartida, um aumento da força de sucção em relação às células adjacentes. Na verdade, a célula da folha projetada para o exterior, funciona como uma torneirinha que, tão logo seja aberta, deixa jorrar a água e solicita mais água ao sistema hidráulico ao qual está ligada.

Thursday, November 26th, 2009 | Author:

Sistema de irrigação

Sistema de irrigação
Cada célula pode ser considerada como uma bomba de aspiração, cuja força de sucção é igual à pressão osmótica menos a pressão de turgidez. Assim, quando as duas pressões forem iguais, a força de sucção será nula. Em contrapartida, se a pressão osmótica for maior, a célula solicita água. E se o que for maior for a pressão de turgidez, a célula perde água. Imagine agora uma célula de uma folha, por exemplo, que, através da abertura do Por estômato (poro), comunica-se O com o exterior. Ela, naturalmente, terá tendência a perder água pela transpiração.

Wednesday, November 25th, 2009 | Author:

Irrigação de plantas

Conseguinte, quanto maior for a concentração dessas substâncias, maior será a forma de pressão. Essa pressão é chamada tecnicamente de pressão osmótica. Em contraste com ela, temos a pressão exercida sobre as paredes da célula (as paredes do balão de borracha, no exemplo) e que é conhecida como pressão de turgência. Daí, quanto maior for a concentração de substâncias dentro da célula (a pressão osmótica), maior será a força com a qual será solicitada á água do exterior, afim de diluir a solução. Tudo isso é possível, porque a membrana que separa o exterior do interior de uma célula, pode ser considerada semipermeável. Isto é, permite que a água, mas não as substâncias nela dissolvidas, consigam atravessá-la.
O que foi descrito acima está aquém do exato, mas é esta simplificação que facilita o entendimento de alguns fenômenos.

Tuesday, November 24th, 2009 | Author:

Irrigação pastagens

Resumo do sistema de ascensão da água, desde as raízes até as folhas, através dos vasos do lenho. A perda da água faz aumentar a concentração do suco celular e a solicitação de mais água para diluí-lo. No circulo: representação esquemática das forças de coesão da água (as flechas tracejadas simbolizam os liames do hidrogênio)
Vacúolo – espaço cheio de líquido incolor que se forma no protoplasma das células vegetais (Quanto mais velha a célula, maiores os vacúolos; podem ser tão grandes que o protoplasma acabe reduzindo-se a uma delgada faixa, localizada junto à parede celular)

Monday, November 23rd, 2009 | Author:

Fotos de irrigação

Em uma célula vegetal acontece algo parecido. Cada célula está em contato com outras células ou com o exterior. Mas acontece que o interior das células é constituído fundamentalmente de água, na qual estão dissolvidas inúmeras substâncias. Assim, a concentração destas substâncias pode ser comparada, aproximadamente, à quantidade de ar do balão de borracha do nosso exemplo.

Sunday, November 22nd, 2009 | Author:

Agua irrigação

As forças que permitem a ascensão da água.
Mas, se não existe essa bomba nas árvores, como é afinal que a água consegue subir? Essa é uma história um tanto complicada, mas realmente fascinante. Veja o seguinte.
Se inflarmos um balão de borracha, poderemos perceber que existem duas forças que se contrastam. A primeira, é dada pela quantidade de ar que sopramos no interior do balão  e quanto maior for a quantidade de ar, maior será a pressão exercida por ele sobre as paredes internas. A outra força é dada pelo invólucro que resiste à primeira e a contrasta  as paredes do balão, no caso.

Friday, November 20th, 2009 | Author:

Irrigação por gotejamento

Mas tem mais. No caso da árvore, existe um problema ainda maior. O problema da estreiteza dos vasos do lenho, através dos quais a água sobe até as folhas. Esse agravante, levou os cientistas a calcularem que a resistência de ascensão da água seria, em média, 5 vezes maior. Assim sendo, uma árvore de 50 metros de altura, na verdade deve ter à sua disposição uma bomba de sucção que supere uma pressão de 25 atmosferas. Ou o equivalente, grosso modo, a uma bomba centrífuga de baixa vasão e alta pressão, de 4 cavalos de potência.