Arquivado em la Categoría » orquidário «

Sunday, December 11th, 2011 | Author:

Meu orquidário.
Durante meses, selecionei muitas informação sobre orquidários. Em cada post que chegava, eu marcava a página escrevendo: “Orquidário “. Assim fui sonhando, até que um dia, eu e meu marido terminamos nossa obra. Tudo com muito amor, carinho e paciência.

Publicado em: orquidário  | Tags: ,  | Um Comentario
Saturday, May 21st, 2011 | Author:

A outra pata-de-vaca é a Bauhinia variegala ‘Candida’. Sua difercnca está na florada completamente branca, com folhas verde-acinzentadas e brotos verde-claros. Brancas ou rosa, as floradas sao um espetáculo que ganham destaque-também em jardins da cidade ou da casa de campo.
A origem do termo “pala-de-vaca” é urna alusao ás folhas redondas com urna fenda no meio. Basta observá-las inais atentamente e logo percebe-se sua semelhanca com a pegada de vaca. Já o nome científico Bauhinia foi urna homenagem aos irmaos .lean Johannes e Gaspard Bauhin, dois famosos botánicos sitíeos do século XVI. Jean foi autor de urna enciclopedia botánica e Gaspard, o primeiro a lancar as bases de urna classificacao natural das plantas.

Thursday, May 19th, 2011 | Author:

Arvore das orquídeas.
Cheia de atracóes, a pata-de-vaca cresce rápido, dá flores que lembram orquídeas e exala um leve perfume.
Bauhinla variegata: flores  cor-de-rosa” com estrias arroxeadas, que lembram as das orquídeas.
Apala-de-vaca c urna árvore muito usada no paisagismo urbano. Seu porte de até 8 m de altura e o florescimento rápido (em apenas dois ou tres anos de idade já surgen] flores) ajudam a alegrar rúas e calcadas durante o invernó e a primavera. Some a isso a intensidade colorida de suas flores que lembram a das orquídeas e um perfume leve e adocicado.
Originaria da Asia, duas variedades muito ornamentáis e parecidas dividem o nome “pala-de-vaca”. Urna é a Bauhinia variegala que apresenta llores cor-de-rosa, com estrias arroxeadas no centro de suas pélalas. Seus brolos lambém sao levemente arroxeados.

Wednesday, June 23rd, 2010 | Author:

Laelia tenebrosa

Hadrolaelia tenebrosa (ex Laelia tenebrosa)
Espécie vigorosa com pseudobulbos claviculados alcançando até 20 cm de altura, portando uma única folha oblongo-lanceolada, bem espessa de cor verde-escuro com pequenas pontas escuras. Flores grandes de 20 cm de diâmetro um pouco onduladas. Pétalas e sépalas escuras de cor chocolate ou marrom-púrpura, labelo encrespado amarelado com zona branca marginal. Vegeta em matas mais ou menos sombrias no sul do Brasil e norte do Espíri to Santo numa altitude de 800 a 1.100 metros. Floresce em dezembro e janeiro.

Tuesday, June 22nd, 2010 | Author:

Hadrolaelia praestans

Hadrolaelia praestans (ex Laelia spectabilis)
Espécie de pequeno porte do grupo das Hadrolaelias. Já é muito rara em seu hábitat, no Espírito Santo. Pseudobulbos finos e roliços de 10 cm de altura com uma única folha oblonga de cor vermelha-bri-Ihante. Flores de oito cm de diâmetro que surgem também, sem espata, de dentro das folhas novas. Pétalas e sépalas rósea-púrpura. Labelo redondo em forma de cornucópia de cor púrpura-lilás-amarelado muito rígido, e fauce púrpura-brilhante. Vegeta numa altitude entre 600 e 900 metros, de bastante umidade. Floresce em julho e agosto.

Monday, June 21st, 2010 | Author:

Hadrolaelia sincorana ex Laelia sincorana

Hadrolaelia sincorana (ex Laelia sincorana)
Espécie descoberta há poucos anos. Planta baixa, com pseudobulbos redondos de dois cm de altura com uma só folha de cinco cm de comprimento em forma de concha. Flores de oito cm de diâmetro muito semelhantes às da Laelia pumila. Pétalas e sépalas róseo-púrpura-brilhante. Labelo estreito quase rigoroso com estrias púrpuras. Existem variedades albas, semi-albas, concolores, caeruleas e outras. Seu hábitat, a 1.200 metros de altitude, é na Bahia. É de difícil cultura. Floresce entre setembro e novembro.

Sunday, June 20th, 2010 | Author:

Laelia purpurata

Hadrolaelia purpurata (ex Laelia purpurata).
Espécie com plantas robustas que é cognominada a “Rainha das Orquídeas Brasileiras”. Pseudobul-bos de 20 cm de altura portando uma só folha coriácea e oblonga. Pétalas e sépalas brancas ou rosadas e labelo púrpura bem estriado e encrespado e bordas brancas. Vegeta no litoral brasileiro desde São Paulo até o Rio Grande do Sul, pulando, inexplicavelmente, o Paraná. É a orquídea brasileira que apresenta maior número de belas variedades. Floresce em novembro e dezembro.

Saturday, June 19th, 2010 | Author:

Laelia pumila

Hadrolaelia pumila (ex Laelia pumila)
Espécie de pequeno porte quase em extinção nos seus pequenos hábitats, que são matas sombrias e alagadiças com alto teor de umidade. Vegetam nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, em altitude entre 600 e 900 metros. Pseudobul-bos roliços e finos de cinco cm de comprimento com uma única folha oblonga. Flores grandes de oito cm de diâmetro, que surgem individualmente, sem espata, de dentro das folhas novas. Flores de cor róseo-púrpura, labelo largo e aberto de linda cor carmesim-púr-pura aveludado, com pequenas mesclas brancas na zona frontal. Existem variedades albas, semi-albas e caeruleas. Florescem em março e maio.

Friday, June 18th, 2010 | Author:

Laelia perrinii

Hadrolaelia perrinii (ex Laelia perrinii).
Espécie com pseudobulbos alongados e achatados, de 25 cm de altura, sustentados numa única folha oblonga-cori-ácea de 25 cm de comprimento, de cor verde-acinzentada. Hastes florais curtas reunindo duas ou três flores de 12 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas de pouca consistência de cor róseo-púrpura com margens mais escuras. Labelo grande e estreito em forma de cartucho aberto e cor carmesim-brilhan-te. Vegetam numa altitude entre 500 e 800 metros. As flores não servem para corte porque depois de cortadas têm pouca duração. Floresce em abril e maio.

Wednesday, June 16th, 2010 | Author:

Laelia lucasiana

Hoffmannseggella longipes (ex Laelia lucasiana).
Espécie rupícola que tem curioso contraste no colorido entre as pétalas, sépalas e o labelo. Planta pequena com pseudobulbos de três cm de altura com uma só folha curta e coriácea em forma de concha de cor verde-es-curo. Hastes florais de 10 cm de altura em três a cinco flores de três cm de diâmetro. Pétalas e sépalas que variam do rosa-claro ao magenta (lilás-escuro). Labelo amarelo-ouro de dois centímetros de comprimento, estreito e densamente encrespado. A variedade Fournier tem pétalas e sépalas brancas e a variedade Minor apresenta na haste floral somente uma ou duas pequenas flores. Floresce em novembro e dezembro. Vegeta numa altitude entre dois mil e 2.200 metros.