Arquivado em la Categoría » Plantas ornamentais «

Saturday, August 18th, 2012 | Author:

Atenção para não colher as plantas espontâneas em locais onde o fluxo de carros é intenso (avenidas, ruas, beira de estrada) nem em locais onde haja contaminação do solo (próximos a esgoto), ou próximo a mananciais poluídos.
Espontâneas que nascem em pastos ou locais de muito movimento de animais também devem ser evitadas para o consumo. O ideal é você mesmo cultivá-las. Lembre-se de sempre lavar muito bem folhas e caules antes de utilizá-los.

Tuesday, May 29th, 2012 | Author:

Ao fundo, duas estrelítzias-brancas marcam os cantos da sala e delimitam o lugar dos lírios. A vegetação, de sombra, foi escolhida em função de suas folhas: grandes, fortes, lustrosas, de diferentes tons de verde, que dão esse ar tropical ao apartamento.

Sunday, May 27th, 2012 | Author:

APARTAMENTOS E SALAS FECHADAS PODEM, SIM, DESFRUTAR DA COMPANHIA DAS ESPÉCIES VEGETAIS.

Essa é a teoria dos arquitetos-paisagistas Benedito e Mariana Abbud, que a provam na prática, em seu apartamento em São Paulo. A reforma do antigo apartamento visava ampliar e integrar os espaços e principalmente criar um clima “verde” e natural. Para tanto, o piso foi trocado por anticato de quartzito branco, e todo o layout da sala foi pensado a partir da distribuição dos vasos, que chegam a quinze unidades só na área social. Como a intenção era integrar o jardim ao ambiente, foi delineada uma orla preenchida com seixos, que dá a ilusão de jardineira, onde os vasos foram posicionados. Atrás deles, um grande espelho reflete as palmeiras e a parede do lado oposto, coberta por pleomeles, ampliando o espaço e multiplicando a vegetação.

Sunday, November 20th, 2011 | Author:

AMENDOIM-RASTEIRO: é o nome popular da Arachis repens, de coloração que vai do branco ao esverdeado. A espécie floresce entre a primavera e o verão, e deve ser cultivada a pleno sol, em solo rico em matéria orgânica. Suas flores são diminutas, de coloração amarelada, que se formam na primavera-verão.

Friday, November 18th, 2011 | Author:

CAPUCHINHO: de folhas cerosas e flores ornamentais com coloração que varia do amarelo ao vermelho, a Tropaeolum majus pode alcançar até 40 cm de altura. Cultivada a pleno sol, vai muito bem em canteiros.

Wednesday, November 09th, 2011 | Author:

ÉRICA: suas flores são cor-de-rosa e ela se desenvolve bem próxima a pedras, tanto a pleno sol quanto em meia-sombra. Não tolera frio e precisa de solo com boa drenagem. Cuphea gracilis é o nome científico.

Monday, November 07th, 2011 | Author:

RABO-DE-GATO: a Acalypha reptans floresce no decorrer do ano inteiro, com flores vermelhas ou cor-de-rosa que parecem uma penugem. Precisa de solo fértil e bem irrigado e não sobrevive a geadas.

Saturday, November 05th, 2011 | Author:

AGAPANTO-AZUL: o Agapanthus africanus é perene, originário da África do Sul. Seu porte varia de 30 a 60 cm e pode ser cultivado em pleno sol ou à meia-sombra.
Há ainda aquelas consideradas mais raras ou exóticas, como a estrelítzia-de-lança (Strelitzia juncea) e a miosótis (Verônica prostratà), azulada e de origem russa, e a multicolorida amor-perfeito da foto abaixo (Viola wittrockiana) – todas apreciam clima frio. E há também as mais comuns, como a maria-sem-vergonha. Encontrada em várias cores, a Impatiens walleriana está entre as flores rasteiras mais populares. É adequada à meia-sombra. Sim, é verdade que elas são relativamente frágeis. “Flores rasteiras exigem bastante manutenção, e são trocadas com maior freqüência do que outros tipos de plantas”, diz a paisagista Neide Braga. Mas a trabalheira é compensada pela beleza que elas emprestam ao ambiente. Mesmo que a maioria não dure mais do que uma estação. Como um amor de verão.

Sunday, October 30th, 2011 | Author:

MARGARIDINHA: a popularidade da Coreopsis lanceolata se deve à relativa facilidade em encontrá-la. Forração perene, com altura variando de 30 a 50 cm, é proveniente dos EUA e prefere ser cultivada a pleno sol. As flores são pequenas e as hastes, longas e finas.

Friday, October 28th, 2011 | Author:

AZULZINHA: de pétalas aveludadas, floresce em qualquer época do ano em clima temperado; não resiste a temperaturas baixas. Evolvulus glomeratus é seu nome científico.