Arquivado em la Categoría » Sem categoria «

Tuesday, January 08th, 2013 | Author:

JACARÉ
Nome científico: Pithecolobium tortum.
Nomes populares: jacaré, tataré, jurema, angico-branco e vinhático-de-espinho.
Origem: Brasil.
Porte: entre 6m e 12m de altura.
Folhas: compostas e formadas por numerosos folíolos, que variam entre 10mm e 15mm de comprimento por 3mm a 5mm de largura.
Flores: brancas, semelhantes ao algodão, formadas em outubro e novembro.
Tronco: canelado, de 30cm a 50cm de diâmetro, com aspecto muito ornamental pela forma e coloração.
Solo: arenoso e bem drenado.
Clima: desenvolvese bem em qualquer região brasileira, mas prefere locais de temperaturas quentes e secas.
Luminosidade: pleno sol.
Irrigação: moderada, certifiquese de que o substrato esteja seco antes de molhar novamente.
Dificuldade de cultivo: nenhuma. Tratase de uma planta muito rústica.
Adubação: composto orgânico.
Multiplicação: por sementes ou estacas.
Curiosidade: no período de frutificação, a espécie fica praticamente sem folhas.

Tuesday, November 06th, 2012 | Author:

CACAU
(Theobroma cacao)
O cacaueiro e caulifloro, isto e, as flores aromaticas e os frutos formam-se grudados no caule, na axila das folhas. As sementes do cacau torradas, moidas e misturadas ao acucar constituem o que se chama de chocolate, que e aditivo, principalmente em mulheres.
A palavra “chocolate” vem do maia xocolat. Pela lenda mexicana, as sementes do cacau foram trazidas do paraiso e sabedoria e poder eram obtidos ao comer essas sementes. O chocolate aumenta as respostas imunologicas. Era considerado um potente afrodisiaco pelos astecas, cujas prostitutas eram sempre pagas com sementes de cacau. Para os astecas, o chocolate era preparado de sementes cruas de cacau, pimenta-caiena e ervas e era bem amargo. Os espanhois conheceram o cacau em 1519, quando Montezuma ofereceu a Cortez uma massa de cacau triturado, misturada com farinha de milho e aromatizada por baunilha. Montezuma so tomava esta bebida e nunca entrava em seu harem sem beber chocolate, o que o levava a tomar cinqiienta xicaras de chocolate por dia, para manter suas atividades no harem. O efeito afrodisiaco deve ser devido a presenca de feniletilamina (PEA) e por aumentar as nossas endorfinas. Recentemente, nos EUA foi mostrado que a feniletilamina do chocolate libera as mesmas substantias liberadas durante o ato do amor.

Publicado em: Sem categoria  | Tags:  | Deixe um comentário
Tuesday, November 09th, 2010 | Author:

Bonsai de jabuticabeira

JABUTICABEIRA.
Nome científico: Myrciaria cauliflora.
Origem: Brasil.
Idade: 50 anos.
Estilo: Moyogi (vertical informal).
Altura: 92cm.
Largura do tronco: 13cm.
Luminosidade: Pleno sol.
Proprietário: Sérgio Siqueira.

Monday, June 14th, 2010 | Author:

Orquidea Hadrolaelia lobata

Hadrolaelia lobata (ex Laelia lobata).
Espécie rupícola e epí-fita bastante importante, com pseudobulbos com uma só folha obtusa e co-riácea de cor verde-claro. Flores grandes de 15 cm de diâmetro de cor rósea com labelo mais escuro, púrpura-róseo encrespado. Suas principais variedades são a alba e a rósea Jenny. Seu hábitat é o morro da Urca e o costão do Pão de Açúcar, dentro da cidade do Rio de Janeiro. Floresce em dezembro. Ainda hoje, na época de floração, quem passar de avião pelo Pão de Açúcar poderá divisar exemplares floridos naquele local.

Friday, June 04th, 2010 | Author:

Cattleya warneri

Cattleya warneri.
Robusta espécie do Espírito Santo e Minas Gerais que vegeta numa altitude entre 300 e 700 metros, principalmente no Vale do Rio Doce. Pseudobulbos com 15 cm de altura e largas folhas elípticas de 25 x 10 cm. Sua identificação sem flores é possível por apresentar as bainhas sobre os pseudobulbos de cor preta. Hastes florais com duas a cinco flores de 25 cm de diâmetro. Pétalas e sépalas de cor lilás brilhante. Labelo mais escuro com mesclas branco-amare-ladas. Existem muitas e valiosas variedades. Floresce em outubro e novembro.

Tuesday, May 18th, 2010 | Author:

Fecundação plantas

As partes reprodutoras das orquídeas estão alojadas na coluna, órgão carnudo e claviforme que se projeta no centro da flor e é o resultado da fusão dos órgãos masculinos (estames) e femininos (carpelos). Na ponta dessa coluna encontramos a antera (pequena peça onde estão alojadas as políneas). Logo abaixo, na parte inferior da coluna, encontramos o estigma, que é uma fenda ou depressão com superfície viscosa, órgão receptivo feminino onde são depositadas as políneas para a fecundação. No dia seguinte à fecundação, a flor se fecha e o ovário começa a se intumescer formando uma cápsula com sementes.

Sunday, May 16th, 2010 | Author:

família orchidacea

A família orchidacea.
A enorme família Orchidacea é composta de plantas monocotiledô-neas, ou seja, que produzem flores e frutos. Ela conta com cerca de 35 mil espécies naturais e aproximadamente 65 mil híbridos. É considerada pelos botânicos como a mais importante do reino vegetal.

Monday, April 19th, 2010 | Author:

Vasos de orquideas

Desde 1897, cópias dessas pinturas passaram a ser colocadas no Orchid Room e a pintura original é apresentada para comparação.
O primeiro artista comissionado pela RHS foi Nellie Roberts. Era uma jovem de 17 anos quando viu um vaso de orquídeas na janela de uma casa em Camberwell, onde vivia.