Tag-Archivo para » dicas de jardinagem «

Thursday, November 24th, 2011 | Author:

DICA AO PEQUENO JARDINEIRO.
Literatura infantil em alta:
Novos livros indicados para crianças, com temas ligados ao verde, invadem as livrarias. Cada vez mais interativos e com linguagem simples, eles explicam de forma didática assuntos sobre jardinagem e meio ambiente. Há opções para todas as idades. Alguns, inclusive, podem ajudar os professores em sala de aula. Veja só:
Voa, voa Joaninha.
A cada página surge uma surpresa. O livro é repleto de cenários móveis, que movimentam os personagens conforme as páginas vão sendo abertas. Bem infantil, ele é indicado para uma faixa entre 4 e 6 anos, e conta as aventuras de uma joaninha que se perde no jardim e encontra outros insetos dispostos a ajudá-la. E muito lindinho!
Preço: R$ 42,00.
Seis razões para amar a natureza:
Seis animais em vias de extinção são os O personagens deste livro, entre eles o mico-leão-dourado, a arara-azul e a baleia-jubarte. Cada capítulo descreve uma espécie em particular, por meio de belas ilustrações que mostram sua história, hábitat, costumes e principais características. No final da obra, os autores detalham projetos eficientes de conservação e proteção desses animais. Indicado para 1 crianças a partir dos sete anos.
Preço: RS 18,00.
Literatura indicada para escolas.
Os livros “Ecologia. Uma aventura de amor à natureza” e “Meio Ambiente e os amiguinhos da natureza” foram concebidos para auxiliar professores de 5B e    séries do ensino fundamental. Os dois trabalhos foram escritos por pedagogos que criaram personagens dispostos a vivenciar histórias do cotidiano. Tudo para explicar assuntos como clima, ecossistema e cadeia alimentar, entre outros.
Preço: R$ 17,50 cada.

Monday, October 24th, 2011 | Author:

Nas bordas de canteiros, como minúsculas cercas vivas ou para arrematar vasos, as flores rasteiras assumem um papel de destaque.
As flores são a alma de qualquer jardim. E, ao pensar nelas, o que vem primeiro à cabeça são as mais vistosas, que vivem majestosamente instaladas nas copas das árvores ou no alto dos arbustos. Mas há outra forma de aproveitar as cores e formas dessas delicadas manifestações da natureza para embelezar os ambientes. Como uma renda ou um bordado, as flores rasteiras – aquelas tão miúdas que podem até ser esmagadas por pés distraídos – são capazes de dar um toque de nobreza ao paisagismo.
Elas formam arbustos baixos, com altura raramente superior a 50 cm, e também podem ser usadas para complementar trechos da forração. Como as pequenas flores estão abaixo da altura dos olhos, é interessante plantá-las em locais distantes do trânsito de pessoas. As aplicações mais comuns são bordas de canteiros, onde fazem o papel de minúsculas cercas vivas, e vasos.
Algumas espécies são mais adaptadas ao clima brasileiro. Um bom exemplo é a vedélia (Spltagneticola trilobata), de cor amarela (foto ao lado) e tão resistente que é comumente usada em jardins públicos, parques e praças. Na cidade de São Paulo, por exemplo, há quilômetros plantados com essa flor às margens do poluído rio Pinheiros, como parte do projeto de revitalização. Outro exemplo é a Impatiens Hawkeri, o popular beijinho, que cresce até em terrenos abandonados graças a sua preferência por meia-sombra e solos úmidos. Os paisagistas Cristina Pibiri e Leonardo Marques indicam outras flores rasteiras fáceis de encontrar e cultivar. Confira!

Sunday, August 08th, 2010 | Author:

Dicas de cultivo das orquideas

Flores o ano inteiro.
Dicas de cultivo e sobre o período de floração das principais espécies..
Janeiro:
Altas temperaturas e pesadas chuvas são característicos deste mês. A maioria das plantas prefere o calor às baixas temperaturas. As orquídeas brasileiras e de nossos países vizinhos suportam bem as chuvas constantes, desde que os vasos tenham uma boa drenagem. Para escoar melhor a água, preencha um terço do vaso com cacos de cerâmica limpos. Algumas espécies mais sensíveis ao excesso de água devem ser recolhidas para locais cobertos.
Atenção às pragas e doenças. Lesmas, caracóis, tatuzinhos e outras pragas costumam proliferar nesta época. Utilize lesmicidas e inseticidas para combatê-los. Os fungos que se espalham através de esporos na umidade devem também ser controlados, de preferência com fungicidas sistêmicos. Não se esqueça dos devidos cuidados ao manusear esses perigosíssimos produtos.
Floresce neste mês a bela Cattleya bicolor, procedente dos estados do Sul e Sudeste brasileiros, além de outras espécies do mesmo gênero, como a C. harrissoniae, guttata e bicolor, e da peruana Cattleya rex. Outras plantas deste mês são a Catasetum fimbriatum, Stanhopea insignis e M. regnelii e spectabilis.