Sunday, September 15th, 2013 | Author:

Combretum fruticosum:
Trepadeira lenhosa e vigorosa, possui folhas bronzeadas quando novas. E bastante utilizada para revestir caramanchões, devido à sua folhagem densa e ornamental.
Origem: Brasil.
Família: Combretaceae.
Luminosidade: sol pleno solo: desenvolvese melhor em solo fértil e bem permeável.
Característica: é bastante tolerante a geadas.
Curiosidade: suas flores são constantemente visitadas por beija-flores.
Multiplicação: por sementes e estacas cortadas no final do inverno

Thursday, September 12th, 2013 | Author:

Euphorbia pulcherrima:
Com folhas membranáceas, que de acordo com o inverno tornam-se mais variegadas e decíduas, o bico-de-papagaio é um arbusto semilenhoso e leitoso que pode chegar a três metros de altura.
Origem: México família: Euphorbiaceae.
Característica: durante o inverno, podem ocorrer diferentes tipos de formação, com possibilidade de serem podadas para formar um conjunto mais compacto.
Curiosidade: é uma planta bastante utilizada em vaso, como planta típica de Natal.
Multiplicação: por estaquia. Deve ser preparada no final do ano.

Sunday, September 08th, 2013 | Author:

Amarílis:

Grupo de herbácea bulbosa. Possui folhagem ornamental que, em alguns casos, desaparece durante o inverno.
Origem: Peru família: Amaryllidaceae curiosidade: os bulbos “congelados” retardam o florescimento, que passa a ser durante o verão cultivo: geralmente são cultivadas em vasos, mas podem ser plantadas a sol pleno tipo de solo: fértil e bem drenável irrigação: deve-se irrigála periodicamente, exceto quando estão para florescer
Multiplicação: por bulbos, os quais devem ser separados da planta-mãe após o desaparecimento da folhagem

Publicado em: Flores jardins  | Tags:  | Deixe um comentário
Thursday, September 05th, 2013 | Author:

Área de lazer:
Buxinhos (Buxus sempervirens) e pingos-de-ouro (Duranta repens) trabalhados com a técnica da to-piaria dividem a piscina do deque, localizado em uma área superior. Nele, apenas três vasos, uma mesa e quatro cadeiras, dispostas sob um grande ombrelone azul e branco. Dois degraus levam à área da piscina, em cujo entorno também foram dispostas poucas espécies. Aqui, a funcionalidade do paisagismo foi explorada. Buxinhos fazem uma espécie de cortina e obstruem a visão de quem está do lado de fora. Ou seja, é possível curtir um dia ensolarado com a privacidade devidamente garantida.
A piscina termina em um corredor que liga a entrada da sala de estar ao acesso à varanda, de onde se pode admirar a piscina e o deque. O corredor é delimitado por seis bambus-mossôs (Phyllostachys pu-bescens), três em cada lado. “Eles dão movimento ao projeto e realçam a arquitetura”, resume Faisal.

Monday, September 02nd, 2013 | Author:

ARQUITETURA E PAISAGISMO DE MÃOS DADAS:
EIS A IDÉIA QUE NORTEOU ESTE PROJETO SIMPLES, SEM SER SIMPLISTA.
Moderno, contemporâneo e minimalista. São esses os adjetivos que o paisagista Marcelo Faisal usa para definir este projeto, realizado em uma residência no Morumbi, em São Paulo. Para ele, o jardim está em sintonia com a arquitetura e, apesar de simples, é recheado de detalhes que, no conjunto, o enriquecem.
O estilo da residência é moderno, com o uso de linhas retas e limpas. E o paisagismo seguiu esta tendência. “Destaquei as formas geométricas e esculturais das espécies, como o pandano”, conta Faisal.
Do lado de fora da casa, já é possível perceber o paisagismo aliado à arquitetura. Todo o muro é revestido com a trepadeira falsa-vinha (Parthenoassus tricuspidata). Tratase de uma espécie mais delicada que a hera (Hedera belix). “Ela não esconde a cor do muro e. assim, não entra em choque com a arquitetura”, explica Do lado interno, um dos locais mais desenvolvidos pelo paisagismo foi o espaço próximo à piscina.

Monday, August 26th, 2013 | Author:

UNIÃO DE SUCESSO ENTRE PAISAGISMO E ARQUITETURA:
Construída em uma área de 1500m2, esta casa, localizada em um bairro nobre de Belo Horizonte, é considerada uma das mais bonitas da região, devido ao seu estilo colonial americano. Além da arquitetura, o jardim também é fundamental para o sucesso do conjunto.
De acordo com as paisagistas responsáveis pelo projeto, os proprietários desejavam uma área verde limpa, de fácil manutenção e que seguisse o estilo da casa. “Além disso, tivemos o cuidado de formar um espaçoso jardim que também emoldurasse a casa.”
Fatores como sol, vento, espécies adequadas e o estilo da arquitetura foram alguns dos itens estudados antes da execução do projeto. “Apesar de todos esses cuidados, não deixamos de priorizar o gosto dos nossos clientes, desde que fosse viável”, explicam as profissionais que, além do imenso gramado, utilizaram basicamente kaisucas (Juniperus chinensis “Kaizuka”) e azaléias (Rhododendron simsii) para compor o espaço, além de plantas características do estilo europeu.
“Nossos clientes nos deixaram bem à vontade para trabalhar. Com isso, conseguimos corresponder a todas as expectativas.”

Publicado em: Paisagismo jardins  | Tags:  | Deixe um comentário
Wednesday, August 21st, 2013 | Author:

Leveza e modernidade:

Situada em Barbacena, a 200 quilômetros de Belo Horizonte, esta casa passou por uma grande transformação. A aparência antiquada deu lugar a um visual moderno, com uma fachada sem muros que se integrou totalmente à rua.
As paisagistas Vera Simoni Guedes, Luciana Ximenes e Margareth Menezes Cortez foram contratadas para executar um jardim belo, moderno e que fosse de fácil manutenção. “Os proprietários também queriam que ele valorizasse ainda mais a arquitetura da casa.”
Após todo o planejamento e estudo da área, foram escolhidas as espécies: cicas (Cycas revoluta), moréias (Dietes bicolor), azaléias (podadas em forma de guarda-chuva) e jasmins-do-imperador {Osmanthus fra-grans). “Próximo à bay-windov, fizemos uma compo-
sição com murta e azaléia branca, formando assim uma cerca viva em dois níveis, proporcionando um resultado maravilhoso”, explicam.
A iluminação também foi projetada pelas paisagistas, para que valorizasse o jardim no período noturno. O grande destaque, contudo, ficou por conta da calçada. “Mesclamos a grama com o piso da passagem, feito de lajões de pedra Ouro Preto, bastante usado em Minas Gerais. Dispostas irregularmente, promoveram leveza à composição.”

Monday, August 19th, 2013 | Author:

Já no piso inferior, na varanda da sala de visitas, a paisagista criou um jardim suspenso, com elementos característicos da cultura oriental, como o Tsukubay. Tratase de uma espécie de cuba com textura e formato de pedra que possui uma bica d’água em bambu. “O som da água é um convite à meditação.”

Saturday, August 17th, 2013 | Author:

No segundo andar, as paredes foram texturizadas em vermelho. Ivani Kubo também criou espaços comple-mentares, que receberam plantas para suavizar o calor intenso da cobertura, além de harmonizar o ambiente. “As treliças foram usadas para tirar o desenho circular do vidro e acabar com a sensação de medo que as pessoas tinham quando olhavam para baixo.”
Quanto às espécies, a responsável pelo projeto utilizou melindres (Asparagus setaceus) e aspargos (Asparagus densi-florus) nos cachepôs pendurados com textura terracota manchada, além de primaveras, jasmins-dos-poetas (Jas-minum polyantkum), buxinhos (Buxus sempervirens), eugênias (Eugenia sprengelii), palmeiras-fênix (Phoenix roebe-lenii) e ardísias (Ardisia crenata).
Um projeto de iluminação também foi implementado. Spots em formato de espeto com lâmpadas halógenas foram distribuídas por todos os jardins, além de arandelas em cerâmica e candeeiros marroquinos, espalhados displicentemente. “Coloquei também algumas velas aromá-ticas para perfumar e iluminar as noites mais quentes.”

Tuesday, August 13th, 2013 | Author:

PAISAGISMO É O GRANDE DIFERENCIAL DA COBERTURA TRÍPLEX:

Antes de se executar um projeto paisagístico, é preciso ficar atento a alguns detalhes. Muitos locais necessitam de significativas transformações para que a construção de um jardim seja bem-sucedida. No caso desta cobertura tríplex, localizada em São Paulo, a paisagista responsável pela obra, Ivani Kubo, fez uma pequena reforma antes da inserção do jardim. “Comecei pela troca de uma piscina por um spa com deque, uma churrasqueira e um chuveirão”, explica.
Ivani também fez a montagem de todos os jardins e a previsão de torneiras para os três níveis do apartamento, além dos pontos de luz. “Um dos diferenciais é o sistema de irrigação automatizada por gotejamento. É uma excelente alternativa para as pessoas que passam o dia todo fora e não dispõem de muito tempo para regálas.”
No terceiro andar, o deque de madeira já existia e foi apenas restaurado. A paisagista aproveitou para dar vida ao local, recortando as tábuas em linhas curvilíneas para montar os jardins suspensos em pedras naturais. “Os locais que receberam esse tipo de jardim foram impermeabilizados. Para a drenagem, utilizei tela nos ralos, argila expandida, manta bidin e terra misturada”, explica.
Com relação às espécies do terceiro andar, a profissional optou por plantas resistentes a fortes ventos e luz solar direta, como gerânios (Pelar-gonium peltatum), rabos-de-gato (Acalypha reptans), fórmios (Phormium tenax), azaléias-dobradas (Rbododendron simsií), moréias (Dietes iridioides), pinheiros-budistas (Podocarpus macropbyllus), bambus-mossôs (Phyllos-tacbys pubescens), bambus-de-jardim (bambusa gracilis) e murtas {Eugenia sprengelii). “Elas cobriram as pastilhas que revestem o prédio e proporcionaram frescor a este andar, que se tornou uma extensão da área do spa. Em dias de festa, algumas mesas são dispostas neste local”.